30 de junho de 2005

100 Dias qual balanço?

Qual o balanço de 100 dias de Governo PS , qual a vossa opinião,vamos abrir a discusão?

3 comentários:

Anónimo disse...

Aula Grátis de Português: discussão e não discusão.

João disse...

(Este anonymous deve ser primo do Barnabé!)


POis eu acho que estes sem dias foram de uma profunda desilusão!...

Obviamente que há diferenças. Há outras preocupações. Há outra postura (não me lembro de alguma vez ter visto um ministro do trabalho sentado num frente a frente na TV com lideres dos sindicatos)... Mas a essência continuou a mesma: expulsámos CLARAMENTE o discurso da tanga, a obssessão do défice, a subida do IVA para 19%; e recebemos um discurso da treta, a obssessão do défice, e a subida do IVA para 21%!!!

Não! o País precisava de um abanão, de uma reforma profunda, quase de uma nova revolução. Foi para isso que se deu a tareia na direita e se fizeram subir os partidos pequenos!

O PS para mim, desiludiu... e muito!

Que bom teria sido não haver maioria absoluta e ser necessário ouvir o BE e o PCP. Porque se o comunismo, conforme foi implementado, faliu... este capitalismo está a ir pelo mesmo caminho! Só não vê isso quem tem pálas nosolhos, qual comunista ortodoxo que continua a defender o modelo Soviético.

TEMOS DE ABANAR ESTA TRAMPA! SEPARAR O TRIGO DO JOIO! ESTÀ NA NOSSA MÃO, E NÃO É SÓ NAS URNAS...É NO DIA-A-DIA!!!


"
(...)
Levanta-te meu Povo. Não é tarde.
Agora é que o mar canta é que o sol arde
pois quando o povo acorda é sempre cedo ."
(GRANDE) ARY DOS SANTOS

perdigueiro disse...

A elevada fasquia desta governação.

Eu acho que o actual governo tem de provar aos Portugueses que este sistema de alternância PS-PSD ainda tem competência para conduzir a democracia Portuguesa.
Está tudo em jogo.
Se o PS falhar, morrerá por desacreditação o modelo de governação que vigora desde 25 de Novembro de 1975. Se tal acontecer só nos resta ter esperança que, na vertigem da urgência, no "desenrasque", apareça um D.Sebastião, um Marquês de Pombal, um Afonso Costa, um Oliveira Salazar ou um Vasco Gonçalves. Em minha opinião não são suficientes nomes como Mário Soares ou Cavaco Silva.
Não estou a defender que isso aconteça, estou simplesmente a imaginar a ruina de uma governação em Portugal seguida de uma tomada abrupta de poder.
Dir-me-ão que em Portugal não pode haver uma revolução. Estamos na UE, caramba.
Mas com certeza já repararam que a UE está a entrar numa profunda crise de identidade.
Além disso as revoluções não se fazem só de armas na mão.
Uma coisa é para mim muito clara. Estes dois partidos (PS e PSD) têm alguma tendência para levar o nosso país para as profundezas dos indicadores económicos e sociais. Tenho já as minhas dúvidas que seja com algum governo destes que Portugal vai dar um salto qualitativo tipo Irlanda ou Espanha. Não sei se se lembram mas quando a Espanha entrou na CEE (no mesmo dia que Portugal) ia ligeiramente atrás de nós em termos de critérios económicos para ser permitida a sua entrada. Hoje é o que é.
Penso que os dirigentes dos dois partidos têm consciência disto. Embora pensem (erradamente) que ainda têm uma grande margem até que lhes seja tirado o volante das mãos.
Quanto ao actual governo, acho que está a dar luta, mas a medíocridade neste País é muita. A inércia é muito grande. Os poderes instalados são muito fortes. É difícil triunfar neste terreno. Ainda mais quando dirigentes partidários, ministros, secretários de estado, autarcas são, eles próprios, agentes infiltrados do "Sistema", quais pedras na engrenagem.
Após 100 dias ainda estão a dar alguma luta. Vamos ver.