13 de novembro de 2007

12 de novembro de 2007




Pronto aqui vai um “presente” para os gajos que andam por aqui a dizer que eu sou a encarnação do Anti-Cristo.
Bolas, não há pachorra!!!

Dialética


É claro que a vida é boa
E a alegria, a única indizível emoção
É claro que te acho linda
Em ti bendigo o amor das coisas simples
É claro que te amo
E tenho tudo para ser feliz
Mas acontece que eu sou triste...

Vinícius de Moraes

Foi muito mau, assim não bolas!!!
Honrem as camisolas, SPORTING SEMPRE!

Não é que eu seja velho, mas com 32 anos era inevitável a chegada dos “cabelos brancos”, até gosto, faz-me lembrar que afinal os anos passam mesmo…

9 de novembro de 2007

A reter.


"Vivemos num mundo de desigualdade e diversidade. Mundo esse que está dividido, grosso modo, em três espécies de nações: aquelas em que as pessoas gastam rios de dinheiro para não aumentar de peso, aquelas em que as pessoas comem para viver e aquelas cuja população não sabe de onde virá a próxima refeição."
Recomendo este livro.

Calma rapaz!!!



"Nunca discutas com um idiota. Ele arrasta-te até ao nível dele... e depois ganha-te em experiência."

O ateísmo salva

Recusou viagem por ser ateu

Foi convidado para a excursão da Universidade Sénior Albicastrense, apesar de só a mulher a frequentar. Henrique Alves, de 70 anos, acabou por não aceitar o convite porque diz ser "ateu". "Se fosse a outro local eu tinha ido, agora a Fátima não vou", revela o reformado.
(JN)

As coincidências continuam.

Sindicatos da função pública marcam greve geral para 30 de Novembro.

Acertaram outra vez numa sexta-feira, bolas ele há coincidências!!!

2 de novembro de 2007

Para reflectir.

A consciência que objecta

"O papa dos católicos romanos quer que os farmacêuticos aleguem «objecção de consciência» para não venderem a «pílula do dia seguinte». Duvido que os comerciantes do ramo dos medicamentos concordem em reduzir o âmbito do seu negócio, mas é divertido imaginar um mundo onde todos pudéssemos invocar «objecção de consciência» em cada aspecto da nossa vida profissional. Por exemplo: os médicos poderem recusar-se a fazer transfusões de sangue; os comerciantes poderem recusar vender fosse o que fosse a homossexuais, ou a mulheres com a cara destapada; os vendedores de calendários poderem recusar fornecê-los a casais que os utilizassem na sua estratégia contraceptiva; os professores poderem negar-se a ensinar a teoria da evolução; os produtores de vinho poderem recusar vender carrascão para ser usado nas missas católicas... Pensando melhor, o mundo da «objecção de consciência» de Ratzinger não parece divertido: parece assustador."

[Diário Ateísta/Esquerda Republicana]